Brincar

Pedagogia Criativa – Dicas.

Brincar, brincar, brincar! Maior expressão do universo infantil!

Experimentar novidades, testar limites, desenvolver coordenação motora, criar, dividir, respeitar, ganhar e perder, esperar a vez, imaginar, se envolver, se relacionar, ser feliz!

Direito da criança que deve ser respeitado e estimulado pelo adulto.

Brincar ajuda lidar com as emoções – medos , inseguranças, apatia , timidez, frustrações, entre outras.

Crianças com pouco tempo para brincar podem se tornar adultos frustrados, ressentidos, rígidos, fechados, deprimidos , estressados.

Infelizmente, hoje muitas crianças têm agendas lotadas (inglês, espanhol, equitação, tênis, balé, pintura, etc.).

Isso também é saudável e faz parte do mundo moderno, então como saber se estamos corretos? Basta perguntar: Sobra tempo para brincar?

E quando a criança não brinca?

Neste caso alguma coisa pode estar errada, pode ser dificuldade de se enturmar, insegurança, timidez ou vergonha; tendência a ser dominador, querendo mandar e impor suas brincadeiras; apego exagerado aos brinquedos; etc.

Para equilibrar todas estas emoções e permitir à criança um brincar e viver saudável, de forma harmônica, sugerimos trabalho terapêutico – Florais, Microfisioterapia, Barra de Access, Coaching, entre outras técnicas encontradas na sunflowers.

Desde os recém-nascidos, todas as crianças podem tomar os florais e submeterem-se às seções de Microfisioterapia e outras técnicas , respondendo rapidamente ao tratamento.

A Terapia Floral é uma forma de Terapia breve que inclui entrevistas com os pais e a criança, o equilíbrio energético e a indicação de essências que gradativamente irão transformar seu filho em uma criança saudável e feliz.

A Microfisioterapia é uma técnica francesa onde, através de toques leves, o fisioterapeuta encontra, data e apaga todos os traumas vividos desde a vida gestacional até o momento presente, reprogramando as células que se renovam sem estas marcas, prevenindo e curando doenças físicas e emocionais.

O tratamento para as crianças inclui, muitas vezes, o atendimento aos pais que podem ser repressores, excessivamente permissivos, rígidos, estressados, controladores, medrosos, etc.

Algumas indicações:-

  • Distúrbios do sono
  • Enurese noturna
  • Necessidade de libertar-se das fraldas, peito ou chupeta
  • Dependência emocional
  • Adaptação escolar
  • Distúrbios de comportamento
  • Distúrbios de aprendizagem
  • Insegurança
  • Timidez
  • Medos
  • Pesadelos
  • Erupção de dentes,
  • Início da puberdade

Dicas:

1- Para borrifar no quarto do bebê:
Prepare o seguinte:- 120ml de água mineral  + 30ml de álcool 70 + 4 gts das essências Angélica ( Califórnia ) + 4 gts da essência fitofloral Serenium.
Borrife no quarto do Bebe uma vez ao dia .

2-Prepare um banho tranqüilizante: 10 gts do fitofloral Serenium na água do banho.

Atenção: Consultar um terapeuta é a melhor forma de se obter sucesso com os florais.                  

Sapo e a flor

Pedagogia Criativa – Reflexão.

Numa floresta muito grande e cheia de bichos, habitavam várias famílias de animais.

Desde insetos e até mesmo leões com suas leoas e filhotes. Todos cuidavam de suas vidas e da comida também. Os macacos eram os mais alegres, pois estavam sempre brincando e pulando de galho em galho,como se fosse uma festa.Os pássaros regiam a orquestra, pois entre tantos gritinhos, urros e barulhos dos bichos parecia mesmo uma grande orquestra.

Estava um dia o sapo tomando seu banho de sol, quando ouviu que lhe dirigiam a palavra. Logo abriu seus olhinhos procurando quem com ele estaria falando!

Eis que vê uma linda flor cor-de-rosa cheia de pintinhas…Assim estava dizendo ela: – Nossa que coisa mais feia! Nunca vi um bicho tão feio!

– Que boca tão grande, que pele tão grossa…

-Parece até uma pedra, ai parada, se valor nenhum.

– Ainda que sou formosa, colorida e até perfumada.

– Que triste seria ser um sapo!!!

O sapo que tudo ouvia ficou muito triste, pois sempre que via a flor, pensava:

– Que linda flor tão perfumada, que cores lindas, alegria e floresta!

Mas a flor agora havia se mostrado dizendo tudo aquilo do sapo.

De repente surge o gafanhoto saltitante e vê a flor, mas não o sapo.

A flor, quando o percebeu, ficou tremendo em seu frágil caule.

– Meu Deus que faço agora?

Vocês sabem que o gafanhoto gosta de comer as pétalas de qualquer flor que encontre, e ela seria assim sua sobremesa…

O sapo quietinho, quietinho, não se mexeu, e quando o gafanhoto se aproximou da flor, nhac…o alcançou com sua língua.

A flor que já se havia fechado, pensando que iria morrer, abriu-se novamente não acreditando no que havia acontecido.

Mas dona arvore que desde o início a tudo assistia, falou muito energicamente brava do seu canto:

– Pois é dona flor, veja com as aparências enganam. Tenho certeza que a senhora gostaria mais do elegante e magrinho gafanhoto. No entanto, veja como ele teria sido tão mal com a senhora!

As vezes pensamos e dizemos coisas sobre nossos semelhantes que não são verdadeiras. Precisamos tomar muito cuidado com o que falamos, sabe por que?

– Não – dizia a flor ainda tremendo de susto.

Todos nós somos diferentes, de formas diferentes, e até pensamos diferente.

-Você sabe que existem também outras formas de se falar?

-Não. Não sabia – disse a flor espantada com a sabedoria da arvore.

-Pois então minha pequena, da próxima vez que for falar de alguém, pense antes, pois este alguém poderia ser você.

-Agora agradeça ao seu amigo sapo o favor que ele lhe fez, e também conte aos outros o que aprendeu aqui hoje.

Com sua vozinha fraca a flor disse ao sapo:

-Meu amigo, você é realmente amigo. Agradeço-lhe ter me salvado do gafanhoto e prometo que nunca mais falarei de ninguém.

-Aprendi a lição e dona arvore me ensinou também.

os bichos que estavam assistindo bateram palmas.

E assim amiguinhos, aqui fica a lição: Somos todos iguais. Existem bons e maus, mas podemos escolher de que lado vamos ficar…