TOC

Transtorno Obsessivo Compulsivo

O que é?

Você, alguma vez já bateu na madeira três vezes ou fez o sinal da cruz?

Isso se chama ritual e esses rituais são normais, pertencem ao cotidiano de muitas pessoas.

Eles são uma forma simbólica de afastar o perigo. Entretanto existem pessoas que são prisioneiras de rituais, eles são tão fortes que impedem que a pessoa tenha uma vida normal.

Pessoas assim são caracterizadas como possuindo o Distúrbio Obsessivo Compulsivo que consiste em pensamentos ruminativos difíceis de serem afastados com a vontade.

Esses pensamentos surgem do interior da pessoa, sem qualquer estímulo desencadeante externo.

Vejamos alguns exemplos:

  1.  Pavor de se sujar ou se contaminar com suor, pêlos, germes;
  2. Sentir-se obrigado a somar os números de todas as chapas de carro, contar todos os objetos que encontra, contar os dedos das mãos, etc;
  3. Ter pensamentos horríveis sobre matar alguém;
  4. Terror de perder tudo, ser demitido;
  5. Colocar os chinelos nesta ou em outra posição antes de dormir como única opção de que não ocorra acidente em casa;
  6.  Conferir muitas vezes o mesmo serviço ou situações: posição dos objetos, se o gás está fechado, se a torneira está fechada, a porta trancada, etc;
  7. Lavar repetidamente as mãos, roupas, objetos de uso pessoal, etc;
  8. Arrumar compulsivamente as camisas ou meias sempre numa mesma ordem;
  9. Juntar coisas sem uma finalidade, como jornais velhos, tampas de cerveja, etc;
  10. Levantar sempre com o pé direito, entrar num elevador de determinada maneira, etc;

Origens prováveis

Existem duas:

A primeira é biológica, aceitando-se que a origem da doença seja um acometimento do cérebro, possivelmente uma deficiência de um neurotransmissor (substância química responsável pela comunicação entre as células nervosas) chamado serotonina.

A outra origem é possivelmente comportamental. Como a pessoa sente-se mal, e não consegue afastar os pensamentos, passa a criar um ritual, uma compulsão, que tenta afastar os pensamentos. Por exemplo, uma pessoa pode ser acometida de idéias horríveis sobre germes e contaminação, passando então a lavar as mãos muitas e muitas vezes ao dia, chegando a machucar a pele.

Idade em que se manifesta:

A incidência do TOC é maior em pessoas com conflitos conjugais, divorciados, separados e desempregados. É maior também nos familiares de 1º grau (3 a 7%) de portadores de TOC, é igual entre homens e mulheres e um pouco maior em adolescentes masculinos (75%).

O início da doença se dá em torno dos 20 anos, mas não é incomum em crianças.

Entre os 20 e 25 anos de idade, acometendo igualmente homens e mulheres.

Tratamentos:

– Alopatia:

Em geral o tratamento alopático é realizado com medicação, que não é um simples calmante, mas substâncias que tentam corrigir a serotonina, mediador químico que se encontra alterado.

– Terapia:

A do tipo comportamental-cognitiva é a que apresenta melhores resultados.

– Terapia Floral:

Através de consultas detalhadas e consecutivas, que consiste em entrevistas, analise e equilíbrio energético, vamos escolhendo os florais que melhor se aplicam a cada caso, administrando-o e acompanhando os resultados até que os rituais se esgotem.

Apesar de nem sempre ser possível a cura completa dos Transtornos Obsessivos Compulsivos, independente do tipo de tratamento adotado, a Terapia Floral pode oferecer aos pacientes uma maneira de diminuir notavelmente os sintomas obsessivos e compulsivos que são muito debilitantes e que podem perturbar consideravelmente a vida do paciente, portanto se você considera-se um portador de TOC, busque ajuda, vale a pena investir em você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *